Respire, se acalme. A vida é assim: uma hora te enlouquece outra te alegra.
Desconhecido.   (via autorias)
Quis voltar para onde tudo parou e tentar fazer de lá um novo começo. Um recomeço qualquer, mais bonito, diferente, sem os erros do passado. Mas percebi que inevitavelmente o tempo passa e as pessoas mudam e as lágrimas secam e você começa a se reerguer devagar. Então, sem tentar fazer força, você olha o que restou dos castelos que a onda levou. E percebe que está na hora de mudar de praia, de areia, de estrutura de castelo. E começar uma nova história. Do zero.
Clarissa Corrêa. (via errografa)
Eu sei onde você quer chegar. Olha, vou ser honesta contigo, algo me diz que você merece. Eu não sou interessante. Você entende? Sei como é, só porque eu sou bonitinha, eloquente e meio exótica, com seus olhos você enxerga uma garota inteligente, divertida, culta, impressionante, talvez boa de cama. Eu não sou nenhuma dessas coisas. Eu não tenho graça nenhuma.
Gabito Nunes.    (via alentador)
Sei que no fundo, bem no fundindo, o seu sorriso ainda é meu.
Incógnita.  (via redificando)
Tudo bem que nada é eterno, isso é fato, temos que aceitar. Mas às vezes, em certos momentos da vida, somos obrigados a dizer adeus antes da hora, e dizer adeus dói, dói muito.
Raphael Henrique (via redificando)
Já tive outros e já amei outros. Já sofri por eles e já quase te esqueci graças à eles também. Mas depois que acaba, no fim, ou no intervalo de um para o outro, quando só me sobra eu mesma e minha confusão, meus sentimentos me encaram e me confrontam, e eu só vejo você. Só tem você ao meu redor no sábado de noite terminando com alguém. Tem você quando eu me fecho e não deixo ninguém entrar na minha vida, porque morro de medo e é sua culpa. Você na forma como eu escrevo, na música do Leoni, no texto da coca-cola. Cada parte do que eu sou… ainda é você. Mil anos e alguns caras depois e ainda é você.
Iolanda Valentim.  (via alentador)
Sabe o que eu descobri, capitão? O amor existe. Não é apenas mais um sentimento, não é igual aos outros, nem apenas uma junção deles. O amor é a força. Afeto, carinho, raiva, todos eles nós podemos controlar, mas aquele que não há como medir, que luta contra nós, que nos vence, nos esmaga, nos manipula, esse sim pode ser chamado de amor. A principal coisa que descobri, capitão, é que todos nós precisamos dele. Eu necessito.
Grand Guignol.   (via ergueu)
©    Defeiitos